FIQUE POR DENTRO

Saiu na mídia – 10 a 16/2

Chefe de seguros assume grupo Bradesco; Petrobras cria defesa antigoverno; MPF, AGU e CGU tentam se entender sobre leniência; banqueiro vê cyber como risco sistêmico. Leia os destaques da semana

16/02/2018 – 08:53
Atualizado em 16/02/2018 – 08:57
lupa-biblia-visao-distorcida-do-evangelho-de-jesus-cristo

Presidente da Bradesco Seguros é o novo CEO do Grupo – Segs – 15/2
Octavio de Lazari Junior vai substituir a Luiz Carlos Trabuco.

Petrobras cria blindagem contra o governo – Folha de S.Paulo – 16/2
Empresa inclui em estatuto defesa contra ações intervencionistas de seu principal acionista.

Odebrecht busca fôlego de até R$ 3,5 bilhões para enfrentar 2018 – Valor – 14/2
Próximas semanas devem ser decisivas em negociação com bancos.

Odebrecht pede R$ 3,5 bi de crédito, mas bancos só querem dar R$ 1 bi – Folha de S.Paulo – 15/2
Bancos exigem que empresa também faça reestruturação de dívidas com detentores de bônus no exterior.

Justiça condena Odebrecht e Corinthians por obra de arena – Valor – 16/2
Motivo foi a constatação de irregularidades no financiamento da obra.

AGU quer ‘força-tarefa’ com MPF para pacificar acordos de leniência – Folha de S.Paulo – 15/2
Objetivo é evitar discordâncias em negociações que hoje se observam em acordos da Odebrecht, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

Governo e MP chegam a um acordo para facilitar colaboração de empresas – Estadão – 15/2
MPF, CGU e AGU devem começar a negociar em conjunto.

Legado de combate à corrupção será positivo para a economia – Valor – 14/2
Opinião é de representante da Transparência Internacional no Brasil.

Zuma renuncia à Presidência da África do Sul acusado de corrupção – Folha de S.Paulo – 15/2
Presidente, que estava no cargo desde 2009, foi envolvido em série de escândalos e não resiste a pressão de seu próprio partido.

Empresas se preparam para Novo Mercado reformulado – Valor – 14/2
Regras mais rigorosas de governança criam desafios para as companhias.

“O único risco sistêmico para o setor bancário é o risco cibernético” – Les Echos – 16/2
É o que afirma CEO da Natixis, um dos principais bancos franceses.