CRISE

Resseguro tem reversão de expectativa: volume e lucro caem

Para Terra Brasis, ainda não se pode avaliar se queda, especialmente acentuada em agosto e setembro, é tendência ou fato isolado

Oscar Röcker Netto
09/01/2017 – 07:44
Atualizado em 26/01/2017 – 08:33
Rodrigo Botti, diretor-geral da Terra Brasis
Rodrigo Botti, diretor-geral da Terra Brasis.

O volume de resseguros e o lucro das resseguradoras locais caíram no Brasil, aponta o mais recente relatório do mercado elaborado pela Terra Brasis, relativo ao terceiro trimestre de 2016.

No acumulado de 12 meses terminados em setembro passado o resseguro bruto de comissão somou R$ 9,83 bilhões, contra R$ 9,85 bilhões do mesmo período em 2015 — uma queda de 0,2%.

O desempenho foi especialmente prejudicado por resultados ruins em agosto e setembro, mas na análise da resseguradora ainda é cedo para dizer se isso é uma tendência ou um “desvio momentâneo”.

O estudo nota que períodos de decréscimo como o registrado são pouco comuns — o último ocorrera em 2013.

Além disso, houve uma reversão de expectativas. No relatório anterior, pegando dados até junho/16, A Terra Brasis acreditava que a queda no ritmo de crescimento havia se estabilizado e via “os primeiros sinais de recuperação”.

“Esta expectativa foi frustrada”, afirma Rodrigo Botti, diretor-geral da resseguradora, na introdução do documento. “É precipitado extrapolar baseado em apenas dois meses de dados, entretanto será importante observarmos a evolução deste volume [de resseguros] nos próximos meses.”

A expectativa de Botti que se realizou foi a de que o ano (2016) seria desafiador para as resseguradoras locais. O lucro caiu de R$ 696 milhões para R$ 663 milhões em 12 meses em relação ao ano anterior.

“O alto nível de sinistralidade do mercado brasileiro permanece, tanto impulsionado pela liquidez mundial, que comprime taxas de resseguro ao redor do globo, quanto pela competição por market share no mercado brasileiro, ainda tido como um mercado de grande potencial no médio prazo”, analisa Botti.

Para ele, o destaque positivo do relatório foi o desempenho dos prêmios retidos pelas locais, tanto os com origem no Brasil quanto os vindo do exterior. Eles cresceram 15,1% em 12 meses, para R$ 5,46 bilhões.

O volume total de resseguro proveniente de cedentes brasileiras somou R$ 7,6 bilhões, um aumento de 8,8% sobre o mesmo período de 2015; os provenientes de cedentes estrangeiras somaram R$ 1,3 bilhão, alta de 37,3%.

No período, o mercado local deteve 77,4% do volume de prêmios de cedentes brasileiras, com alta em relação aos 71% no período anterior.

Seguros

Sobre o mercado de seguros gerais, o estudo da Terra Brasis mostra que o crescimento nos 12 meses terminados em setembro/16 foi o menor registrado pelo setor desde pelo menos 2007.

No período, foram gerados R$ 87,2 bilhões de prêmios de seguros — alta de 0,8% em relação a 2015, ano em que o crescimento acumulado havia sido de 4,7% sobre o mesmo período de 2014.

A sinistralidade subiu para 50%, contra 48,5% no mesmo período anterior.

Resseguro local terá mais competição a partir de 2017, estima IRB Brasil Re